728 x 90
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Sufocando minha raiva terminal

Sufocando minha raiva terminal

  Ela já tinha avisado e só eu não percebi. Pouco a percebi. E hoje fico assustado com a quantidade de avisos. Discretos, como ela própria era. Mas eram avisos. Nítidos e notórios. Ela, talvez só precisasse que eu estivesse ali. E eu não estava. Pouco estive. Sequer percebi que não apareceria na foto. Nunca

Tempo de Leitura: < 1 minuto

 

Ela já tinha avisado e só eu não percebi.
Pouco a percebi.
E hoje fico assustado com a quantidade de avisos.
Discretos, como ela própria era.

Mas eram avisos.
Nítidos e notórios.
Ela, talvez só precisasse que eu estivesse ali.
E eu não estava.
Pouco estive.

Sequer percebi que não apareceria na foto.
Nunca apareci em nenhuma foto.
E hoje me culpo pela falta presente
E pelo presente que vez por outra sinto falta.
Ela já tinha avisado e só eu não percebi.
Nem mesmo a ouvi.

A abandonei mesmo estando ao seu lado.
Como a um brinquedo de que se enjoa.
Nem mesmo percebi as cartas que ela escrevia.
Eram todas para mim.
Tinham meu endereço e CEP!
Mas nem as abri.
Todas avisavam e nem percebi os tantos que queriam recebê-las em meu lugar.
Só eu que não.

Para ela só deixei essa maldita raiva terminal,
Típica de quem joga no outro a sua própria culpa.
E somente aí que eu percebi.
Mas aí já era tarde.
E agora este tempo não volta mais.
Ela pode ser outra, mas nunca mais será essa.
Essa não mais!

Pode ser outra.
Pode.
Não pode?

 


Nos siga também no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Sugestões de Leitura

Vale a Leitura!

Descomplica pós