728 x 90
Tempo de Leitura: 4 minutos

Quando a nudez do rei fica evidente, apenas os idiotas continuam felizes a mugir

Quando a nudez do rei fica evidente, apenas os idiotas continuam felizes a mugir

Música sugerida para a leitura: Bad Religion -Infected.   Viver em sociedade é entender que há pontos de vista e percepções múltiplas para qualquer questão. Aprender a lidar com o diferente e tentar compreender o outro são atitudes fundamentais para a democracia; pode-se chamar isso de inteligência emocional controlada.     Convergir ou divergir de

Tempo de Leitura: 4 minutos

Música sugerida para a leitura: Bad Religion -Infected.

 

Viver em sociedade é entender que há pontos de vista e percepções múltiplas para qualquer questão.

Aprender a lidar com o diferente e tentar compreender o outro são atitudes fundamentais para a democracia; pode-se chamar isso de inteligência emocional controlada.  

 

Convergir ou divergir de forma equilibrada é o que se espera de cidadãos comuns em suas relações interpessoais. Mas quando é um líder quem extrapola tais limites da racionalidade, pautando a superioridade de uma “verdade” sua como se fosse sagrada e única, temos a tirania em seu estado mais puro.
Assim, o pior pode vir a ocorrer, tão mais rápido quanto o governo age com a certeza de que o mundo todo, menos ele, está errado.
Talvez seja esse o retrato de nosso atual período — com a conivência e a participação ativa de alguns milhares de cegos, é bom lembrar.

O que hoje se valoriza como normal pode ter sido visto como absurdo em tempos passados.
A consciência é algo plástico, mutável, e não um valor monolítico.
Assim, avós hoje veem atitudes dos netos com estranheza.
“No meu tempo não existia isso”, dizem, incrédulos.
Autores da fenomenologia eidética devem explicar melhor essas situações.
Mas permanece o fato de que amenizar as ideias conflitantes de quem pensa diferente de nós é exercício de sabedoria e racionalidade.
Cada pessoa é única e possui suas vivências, falhas e experiências.
Por isso, todos têm uma visão de mundo própria, não necessariamente verdadeira ou falsa.
São apenas pontos de vista, nada mais.

 

Essas premissas são bastante relevantes para se tentar compreender a mente dos que julgam deter a superioridade opinativa

O cálculo destes indivíduos leva em conta que aquilo que aprenderam como dogma é válido e deve prevalecer diante de qualquer evidência.
Suas ideologias, como messiânicas, devem, pois, dominar o núcleo social e não apenas comover adeptos, mas extirpar os divergentes.
A demonização constante do oposto, inclusive, faz parte do ritual de imposição de suas vertentes, independente do assunto que se trate.
Assume-se a condição de salvador, e suas frágeis virtudes, reais ou imaginárias, ascendem a um patamar mitológico.
No mais das vezes, isso nada mais é do que uma real condição patológica: falta-lhes senso.

 

Nada disso, porém, é perigoso enquanto tais indivíduos não assumem, de alguma forma, o poder.

No entanto, se o contrário acontece, por algum descuido do acaso, o preço a se pagar pode ser muito caro, quiçá antidemocrático.
É que tais pessoas não costumam exercer o básico do que se espera de um comandante: ouvir os outros. A teimosia é sua marca para fazer sobrepor seu colegiado de convergentes, afastando a construção plural e saudável da comunidade.
Se essa atitude é permeada de idolatria, sem dúvida há espaço para tragédias anunciadas. É que uma salva de palmas, por mais diminuta que seja, é capaz de insuflar o ego dos que flertam com os regimes ditatoriais.

Trazendo esse pensamento à nossa realidade atual, com uma pandemia de proporções arrasadoras, pensar dialogicamente é buscar a união.
Quem poderia imaginar um gabinete de crise, neste momento da história, sendo formado por palestinos e israelenses?!
Apenas situações emergenciais trazem o consenso da racionalidade; o desespero aguça a compaixão pelo próximo e o instinto de sobrevivência destrona a egolatria.
Por isso, a ciência, os médicos, os sanitaristas, os chefes de Estado e de governo, na atualidade, parecem unânimes quanto à necessidade do isolamento social global.
Mas, como se vivessem em um mundo distante, alguns líderes eleitos se opõem e encaram a crise mundial como passageira e inofensiva.
Se alguns morrerão, faz parte do jogo, mas o país não pode parar. “Qu’ils mangent de la brioche.”

 

O isolamento tem por finalidade comprimir a curva de contaminação do vírus.

É uma medida que mostrou eficiência em países como Singapura, Coreia do Sul e China.
Porém, alheios a tudo isso, talvez regozijados e anestesiados por demonstrações de apoio insensatas de parte de suas bolhas sociais, há líderes que contrariam todos os casos de sucesso ao redor do globo para impor o que lhes parece certo.
É a sua verdade contra o mundo, contra a ciência, contra a medicina, contra os especialistas e contra a lógica.
Mas é a sua verdade — então é suficiente.
Acatar outros pontos de vistas seria fraquejar e dar o braço a torcer.
Não é do feitio dos autoritários enxergar o certo.
Em suas mentes paranoicas, conspirações são sempre bem-vindas e cultuadas aos montes.
Só o que não se pode é perder o controle da narrativa construída, é claro.

Em meio às tragédias, são as lideranças políticas decentes que se sobressaem, com suas tomadas de decisão responsáveis.
Na Índia, país dos mais populosos do mundo, quase um bilhão de pessoas segue uma quarentena obrigatória e restritiva.
É que lá, como em outras regiões do planeta, as medidas que deram certo servem de guia para vencer a moléstia assustadora covid-19, comumente chamada de coronavírus.
Contudo, em lugares onde há mentes que cultuam a “lacrada” constante como calmante das massas, e que têm como válvula de escape constante estigmatizar ao máximo os meios de comunicação, faz-se curiosamente compreensível que nada de racional ou lógico seja válido.

A nudez do rei desses lugares é evidente e apenas os idiotas, inebriados pela confusão ideológica, continuam felizes a aplaudir.
Ou a mugir — a depender do ponto de vista e da percepção tomados.

 

Por MATHEUS CONCEIÇÃO na Revista Bula.


Nos siga também no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Sugestões de Leitura

Espaço Publicitário

Anuncie sua empresa conosco

Vale a Leitura!

  • Anuncie Aqui

    Anuncie sua Empresa Aqui