728 x 90
Tempo de Leitura: 2 minutos

Vampeta, Neonazismo e Bumbum

Vampeta, Neonazismo e Bumbum

Não é tão novo o fato de estarmos vivendo uma distopia muito polarizada.  Mas com certeza é novidade (ou, no mínimo, um fato engraçado) que um neonazista seja sacaneado por toda uma massa de brasileiros revoltados. Estamos no Brasil, já precisamos aguentar os tupininazis e facistas etnicamente não aceitos. O que esperavam de nós? Ocorre

Tempo de Leitura: 2 minutos

Não é tão novo o fato de estarmos vivendo uma distopia muito polarizada. 

Mas com certeza é novidade (ou, no mínimo, um fato engraçado) que um neonazista seja sacaneado por toda uma massa de brasileiros revoltados.

Estamos no Brasil, já precisamos aguentar os tupininazis e facistas etnicamente não aceitos.

O que esperavam de nós?

Ocorre que Varg Vikernes – confesso que não conhecia este mané – deixou de se destacar por sua carreira como músico de black metal e passou a chamar atenção ao se tornar uma espécie de porta-voz do movimento neonazista.

Resumidamente, Varg sempre foi neonazista, mas está piorando com a idade.

Mas, fazer o quê? 

Como já comentei, já precisamos nos preocupar suficientemente com os babacas daqui que ACHAM que são brancos, ACHAM que existe superioridade ética/racial, ACHAM que seriam aceitos no Klu Klux Klan e têm a cara-de-pau de serem racistas.

Isso sem falar naqueles que não se guiam tanto pela cor, mas se acham melhores por serem desembargadores, engenheiros-formados-melhores-que-você, nacionalistas ferrenhos, pró-vida que chamam uma menina de dez anos de assassina… e por aí vai.

A lista é longa.

Ocorre que o problema passou a ser nosso a partir do momento em que o Varg Whatever The Fucking Name resolveu falar mal do Brasil. 

É um direito dele, claro…

Não que, como nazistinha-nutella, ele saiba realmente a força da liberdade de expressão, mas nós, brasileiros, entendemos.

Ou pelo menos 70% de nós.

Além de AMPLAMENTE agraciado com inúmeras fotos de homens nus em sua conta do Twitter (sim, queridos. AMPLAMENTE), Varg Vikernes, foi imediatamente associado ao ex-jogador Vampeta.

Além, é claro, de receber um sem-número de fotos eróticas do jogador.

Não sei se Vampeta é tão AMPLO assim, mas é fato que já é possível achar trocentas matérias acerca do amor incondicional de Varg Vikernes por Vampeta.

O amor é tanto que Varg teria (dizem as boas línguas) mudado seu nome para Vampeta Vikerne.

O nome de sua banda passa de BURZUM a ser BUMBUM.

Vampeta-neo-nazismo-e-bumbum-2

Quem mandou se meter com brasileiro?

É claro que eu me compadeço do Vampeta, sendo associado a um ser humano tão desprezível,

Mas cada um usa a arma que tem.

Vampeta é um brasileiro como qualquer um: descende de negros, brancos, e é fruto de toda nossa miscigenação.

Vikernes, ou aprenderá a parar de falar merdas, ou talvez continue praguejando imbecilidades, mas vai guardar um certo carinho pelo tempero tupiniquim.

Além de nunca mais esquecer o bigodinho anos 90 do nosso querido ex-futebolista.


Nos siga também no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Sugestões de Leitura

Vale a Leitura!

Descomplica pós