728 x 90
Tempo de Leitura: 3 minutos

Deus é mulher

Deus é mulher

Deus é mulher. Há tempos ouço pessoas afirmarem que Deus é mulher. Chamam-na de a DEUSA. Não falo de Hecate ou qualquer outra entidade que possa ser conhecida por um caráter divino, mas de Deus como aquele que tudo criou e cuja existência aprendemos a compreender quando pequenos. Não gostaria de entrar no mérito da

Tempo de Leitura: 3 minutos

Deus é mulher.

Há tempos ouço pessoas afirmarem que Deus é mulher.
Chamam-na de a DEUSA.
Não falo de Hecate ou qualquer outra entidade que possa ser conhecida por um caráter divino, mas de Deus como aquele que tudo criou e cuja existência aprendemos a compreender quando pequenos.
Não gostaria de entrar no mérito da crença aqui porque não me prestaria a ir contra o que cada pessoa acredita.
Particularmente, acredito em Deus como um TODO; um ser não necessariamente corpóreo, dono de características que não somos capazes de conceber.
Não consigo aceitar a ideia de que Deus, todo poderoso, senhor de tudo e autor da vida, do tempo, da existência em si, tenha se conformado em parecer-se com um humano.
Deus, que era antes que tudo fosse, e que existia antes que o tempo fosse tempo, não poderia jamais se permitir a delimitação de um formato tão tolo, cujas configurações são meramente adaptáveis ao planeta Terra.

Deus não criou o homem a sua imagem e semelhança.

O homem deformou Deus a sua imagem e semelhança, como quem poda uma árvore; ou como uma criança que faz um bonequinho de massinha, com os rudimentos de uma coordenação motora muitíssimo mal desenvolvida.
Repito: embora não seja dona da verdade ( nem mesmo dona das minha verdades), creio que Deus esteja para muito além daquilo que desenhamos e moldamos aqui.
Espero que nenhum fundamentalista religioso leia isso. Não gosto de ferir a fé alheia, e tenho razoável certeza de que seria morta em uma fogueira séculos atrás.

Mas voltemos à questão primordial: Deus é mulher ou homem?
Por que afirmar que Deus é mulher dentro de um contexto monoteísta?
Claramente as respostas para essas duas perguntas poderiam gerar livros e livros.
Vamos encurtar caminho pela lógica?

Se Deus existe, por que deveria ser homem ou mulher?

Deus não precisa de identidade de gênero, aparelho sexual, barba, cabelo, unhas, seios, nada que nos faz sentir mais mulher ou mais homem.
O ser humano nasce biologicamente preparado para procriar, e isso condiciona os posicionamentos em torno da sexualidade e ideias de gênero, e até mesmo a ideia da não existência de gênero.
(E nesse momento eu sou OFICIALMENTE a cristã mais herege do mundo.)
Deus também não precisa de pele, pelos, roupas, olhos, aparelho fonador, nariz, orelhas, cérebro. Deus é. E sua existência não está condicionada a uma atmosfera terrestre.
Como diria Proat ( da trilogia K-Pax), uma bolha de sabão só é redonda porque essa é a forma mais adequada para que ela exista dentro do ambiente no qual está.

E por que Deus seria mulher?

Filosoficamente, não existe nem uma razão sequer que justifique Deus como uma mulher.
A menos que estejamos falando de alguma mitologia muito particular ou da ideia da Deusa mãe ( Mãe terra, Dae Mater), isso não é tão coerente.

Mas, esse tipo de afirmação passa a fazer sentido quando pensamos que a figura de Deus é SEMPRE representada – ao menos aqui no ocidente – como um homem branco, barbudo, vestindo uma toga.
Mas e daí?
E daí que, se você já leu A cor púrpura, deve se lembrar do diálogo que Nessie trava com sua melhor amiga, ao afirmar que não acreditava mais em Deus, apesar de ter-lhe escrito cartas por toda uma vida.
Quando interpelada sobre o porquê da repentina descrença, a protagonista responde o óbvio:

Se Deus é um homem branco, por que razão ele haveria de escutar as preces de uma mulher pobre e negra?

Você aí, lendo esse texto e achando um absurdo tudo o que eu digo:
Como homem branco e detentor de algum poder aquisitivo e intelectual, por que você ouviria uma MULHER POBRE e NEGRA?

Você já não ouve, não é?
Se cada moradora de rua que te para pedindo esmola não é atendida, por que você, como Deus, a escutaria?
Não creio que Deus seja mulher, mas defendo a ideia de que devemos sim, ver Deus com qualquer face.
Mulher, negra, pobre, dona de uma bela cabeleira afro, com suor no rosto, seios inchados de tanto dar alimento aos filhos incontáveis.
Ventre inflado pela gestação perene, infindável. Olhos vermelhos e ressecados de tanto chorar as tragédias humanas.

Não acredito que Deus seja mulher, mas seria esse o formato mais justo para um ser tão grandioso.
Esse texto é dedicado especialmente à minha tão admirada Letícia Sabattela, que postou uma foto linda usando uma camisa que retrata exatamente essa ideia.

 


Nos siga também no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Sugestões de Leitura

Vale a Leitura!

Descomplica pós