mestres

Aos MESTRES mais que carinho

 

Há exatos 3 anos lançava meu primeiro livro com o aval de dois dos meus grandes Mestres (sim, com letra maiúscula)

 

Paulo de Tarso que foi quem me apresentou aos estudos de sociologia e filosofia ainda nos tempos de segundo grau.
Já a saudosa Márcia Bandeira foi minha tutora em português e literatura.
Esta que com seu sorriso franco, aberto e verdadeiro talvez tenha sido a pessoa mais querida que eu tenha conhecido.
Ambos tão importantes na minha vida acadêmica que mesmo vinte anos após me formar tive a honra de ser prefaciado por ela.
Muitos antes que qualquer modernidade cantada aos quatro ventos, acima de tudo eles já “gerenciavam” pessoas, histórias e vidas e não apenas alunos.
Estimularam na formação de seres pensantes e cientes de suas responsabilidades através dos estudos, mesmo tendo a noção exata das limitações do ambiente de ensino público.
Eles eram modernos antes da modernidade.
VANGUARDA é a palavra que melhor os define.

 

Trabalhavam com o mesmo respeito independente de qualquer padrão.
O padrão deles era ser igual com todos.
E conseguiam com facilidade conquistar a todos.
Aos mestres mais que carinho assim como meu respeito máximo.
Eles insistiram em acender a fagulha.
A fagulha do conhecimento que é aquele estímulo a descobrir mais e mais e a tentar se descobrir.
E sem ela nunca conseguiríamos nos mover, progredir e evoluir.
Sem a atitude “transgressora” deles certamente eu e mais uma penca de alunos seríamos exatamente como peças (absolutamente dispensáveis) nessa engrenagem ou apenas mais um tijolo no muro, como canta o Pink Floyd.
Estes dois desviavam do habitual o tempo todo, tinham urticárias do “mais do mesmo” e não se conformavam em serem “apenas” professores,
Graças a eles construí um pensamento crítico e um entendimento de quem sou e de quem posso ser.
Desejo fortemente que todos tenham esta chance e sorte que tive de ter MESTRES, no sentido real da palavra.
Porque sem eles eu certamente seria uma versão desatualizada e acima de tudo insossa de quem sou.

 


Veja este também!
Qual é a boa do meu fim de semana? – FORA DO PICADEIRO

A boa do fim de semana


Comente, deixe sua opinião e compartilhe!

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.