728 x 90
Tempo de Leitura: 2 minutos



Postagens do Autor

  • E aí meu amigo?

    E aí meu amigo?

    Vez por outra bato papo mentalmente com um dos melhores amigos que tive. Vez por outra nada! Quase todo dia imagino o que ele me falaria em muitas situações do cotidiano. E aí meu amigo você sabe que até hoje você me ensina pelo exemplo? E aí, meu amigo? Como estão as coisas? Vamos tomar

    LEIA MAIS
  • Nu e de óculos

    Nu e de óculos

    Muitas vezes me questionavam sobre meus textos e seus significados e habitualmente por um tempo isso me incomodou.   Hoje as críticas chegam e não me atingem tanto, provavelmente porque hoje consiga identificar qual intenção a crítica tenha e daí que me sinta nu e de óculos. Por certas vezes fui questionado sobre meus textos.

    LEIA MAIS
  • Saudades dispersadas

    Saudades dispersadas

    Sinto saudades. Daquilo que senti o gostinho e nem tive tempo de decorar a textura. Do que queria que prosseguisse e não pude concluir. Das coisas que sempre quis e nunca tive. Do número de telefone que não me chama mais. Das fugas desesperadas em horários perdidos e sem destino. Da marca de batom na

    LEIA MAIS
  • Parabéns a quem sobrevive por aqui!

    Parabéns a quem sobrevive por aqui!

    Parabéns não somente para a cidade do Rio de Janeiro  pelos seus 453 anos. Parabéns também a quem sobrevive por aqui! Congratulo aos que ainda insistem em estar aqui. Que assim como eu não imagina a razão de ainda estar pro estas bandas. E no íntimo busca um porquê de ainda não ter seguido os

    LEIA MAIS
  • Conselhos a um recém-nascido

    Conselhos a um recém-nascido

    Se um recém-nascido (claro que hipoteticamente) pudesse receber algum conselho seu, Qual seria? Ou Quais seriam? Quando se olha para trás e se identifica erros e acertos designamos esse ato com uma palavra: Experiência. E, dessa maneira, em tese, nunca paramos de agregar conhecimento para assim procurarmos por erros novos e fazermos a roda girar

    LEIA MAIS
  • O que você quer de mim quando lê o que eu escrevo?

    O que você quer de mim quando lê o que eu escrevo?

    O que você seria capaz de fazer para sustentar sua família? Quão longe iria para recuperar sua autoestima? O que você seria capaz de fazer para recuperar um amor perdido? Que penitência pagaria por seus pecados? Se somos socialmente moldados por trocas e os interesses já são e estão enraizados em nossos hábitos como que

    LEIA MAIS