728 x 90
Tempo de Leitura: 2 minutos



Postagens do Autor

  • Meu testamento

    Meu testamento

    Tá aí! Sem briga! Cada um pegue aquilo que for seu por direito E não me encham o saco! Deixo por aqui mesmo todos os defeitos que em mim sempre habitaram e que alguns carreguei com teimosia. Passo adiante toda minha curiosidade em ver o fim disso tudo, quero ver mais não! Liberto as poucas

    LEIA MAIS
  • A minha confissão de hoje

    A minha confissão de hoje

    Sim, esta é minha confissão de hoje. A primeira de muitas. Ou a última de todas que já fiz. Por mais que esteja em constante mudança, algumas características nunca mudam. Sou chato  mesmo, eu sei. E não digo que o mundo ande chato por conta do chamado politicamente correto. Acho ainda ele necessário para defender

    LEIA MAIS
  • Nu e de óculos

    Nu e de óculos

      Muitas vezes me questionavam sobre meus textos e seus significados e habitualmente por um tempo isso me incomodou. Hoje as críticas chegam e não me atingem tanto, provavelmente porque hoje consiga identificar qual intenção a crítica tenha. E daí que me sinto nu e de óculos. Por certas vezes fui questionado sobre meus textos.

    LEIA MAIS
  • Um copo de veneno sem gelo, por favor

    Um copo de veneno sem gelo, por favor

    Gosto de passear pela poesia quando não quero me explicar e deixar a interpretação na conta do leitor. Ele que faça seu próprio sentido e tomem seu próprio veneno. Deleitando-se com um copo de seu melhor veneno Que derrama, escorre e mancha sua única blusa E sistematicamente espalha seu amor artificial pelo corpo. Espreita-se de

    LEIA MAIS
  • O Apátrida

    O Apátrida

      Ontem estive na casa onde vivi por pouco mais de dois anos E que eu acreditava ser a realização de um sonho. Tudo estava como antes exceto pelos espaços criados pelos objetos que já empacotei, por uma ou outra bolsa colocada nos corredores e principalmente pelo meu armário totalmente vazio. As minhas meninas estavam

    LEIA MAIS
  • Sabe?

    Sabe?

    Sabe? Por muitas vezes me vi sozinho e em muitas outras quis me deixar sozinho. Dói menos, sabe? Incomoda menos saber que não há ninguém por me esperar ou que tenha o poder de me magoar. Menos é mais, sabe? E aí que justamente nestes momentos de total convicção que o inesperado surge com a

    LEIA MAIS