728 x 90



  • Zygmunt Bauman: somos aquilo que podemos comprar

    Zygmunt Bauman: somos aquilo que podemos comprar0

    Zygmunt Bauman é um sociólogo e filósofo polonês Que se debruça sobre os problemas do capitalismo   Ou melhor, sobre a face mais perversa e doentia do capitalismo insano e selvagem: a ideia de que somos aquilo que podemos comprar. Ele observa que a sociedade atual, bombardeada pela propaganda incessante, vive em estado de estresse

    LEIA MAIS
  • Yoko não!!!0

    Elvis realmente não morreu. Nem Jim Morrison. Quem realmente morreu foi Freddie Mercury. Este não teve jeito. Mas Sid Vicious e Keith Moon ainda estavam por ali acabando com a paciência do pessoal que foi retirado de circulação por necessidade política ou cansaço das obrigações que a fama traz. Todos com a ajuda do FBI,

    LEIA MAIS
  • Você é realmente livre?

    Você é realmente livre?0

    Você se sente realmente livre? Mesmo pendurado no seu celular? Consegue se ver livre de todas as regras impostas? Mesmo de 08 às 17 horas? E do relógio você se sente livre? Mesmo correndo contra ele? E das roupas que dizem que você deve usar? Mesmo quando se parece com um outdoor humano? E da

    LEIA MAIS
  • Você é comunista! Ou vou ali rapidinho preparar umas criancinhas pro almoço

    Você é comunista! Ou vou ali rapidinho preparar umas criancinhas pro almoço0

    -Oi meu sobrinho! Eu não sabia que você era comunista… – Hum?   E assim fui respondido por pedir que um parente (parente não se escolhe, lembrem-se) não me mandasse mais vídeos de campanha de determinado pré-candidato. Pré-candidato este que, aliás, nem deveria fazer campanha neste período e muito menos fazendo uso de cotas de

    LEIA MAIS
  • Vivemos vidas baseadas em clichês

    Vivemos vidas baseadas em clichês0

    Clichês. É o que me parece sermos enquanto agimos repetidamente em círculos e seguindo exatamente como definido no dicionário:   Lugar-comum, repetido, chavão, comum, previsível e repetido.   É aquilo que fazemos sem perceber ou mesmo sem dar os merecidos créditos. Ser mais do mesmo e mais um a seguir a manada. Nascer, crescer, se

    LEIA MAIS
  • Vivemos um tempo de secreta angústia: o amor é mais falado que vivido por Luciana Chardelli

    Vivemos um tempo de secreta angústia: o amor é mais falado que vivido por Luciana Chardelli0

    O sociólogo polonês Zygmunt Bauman declara que vivemos em um tempo que escorre pelas mãos, um tempo líquido em que nada é para persistir.   O amor é mais falado que vivido e não há nada tão intenso que consiga permanecer e se tornar verdadeiramente necessário. Tudo é transitório. Não há a observação pausada daquilo

    LEIA MAIS