Category: Croniquetas e Papo furado

E me percebo fingindo ser adulto
Croniquetas e Papo furado

E me percebo fingindo ser adulto

Tempo de leitura: 2 minutos
Como definir esta passagem?
 Quando você se percebeu adulto?

 

Afinal o que é ser adulto?

É repetir exaustivamente que “na minha época era tudo melhor”?

Seria viver exclusivamente desse saudosismo vazio e frio?

Passei a ser adulto quando passei a calar meus sonhos até virarem tolices infantis?

Ou quando soltei a criança que havia em mim no vendaval?

Ou por, caladamente e finalmente, entender que nada disso faz sentido? 

 

O que é ser adulto?

Quem sabe seja se preocupar com o futuro mesmo sabendo que ele chega a cada segundo?

E ainda que viva correndo contra o relógio reclame de falta de tempo?

O que é se tornar adulto?

Seria ouvir músicas de gente grande?                                                 

Abandonar seu gosto musical e ouvir apenas as “músicas do momento”?

 

Há algum ritual que determine esta passagem?

Há algum sino que toque quando nos tornamos responsáveis por nós mesmos?

Quando você se percebeu sem alguém para passar mertiolate nos seus machucados?

Talvez seja se sentir engasgado por ter tanto a dizer e ainda assim e preferir entalar com suas convicções abandonadas?

E agir assim por se enxergar maduro, responsável, ajuizado, sensato,

ponderado, prudente, cauteloso, refletido, racional, vivido, experiente,

equilibrado e amadurecido?

 

Afinal alguém me diga o que pode ser definido como adulto?

Há algum diploma que nos defina assim?

Ou a pilha de contas já basta?

O peso nas costas ou o sorriso forçado?

Ou, quem sabe, seja o simples fato de ter sua carteira de trabalho assinada?

 

O que de fato é se tornar crescido?

Algo que berramos na fila do recreio?

Ou as rugas nos dão este título?

Vamos brincar de ser adulto?

Brincamos de ser adultos e como consequência, passamos a infância almejando crescer, mas me diga com sinceridade, como aguentamos uma vida inteira querendo voltar ao útero?

 

Foto por Free Images.

Deixe seu comentário!

Algum dia poderei ser eu mesmo
13jan
Croniquetas e Papo furado

Algum dia poderei ser eu mesmo?

Algum dia poderei ser eu mesmo? E exibir em textos absolutamente aquilo que sair? Sem me preocupar com o julgamento de outros?   Algumas vezes fui abordado com estas perguntas abaixo (e muitas outras...

Feliz em um mar de livros
02nov
Croniquetas e Papo furado

Feliz em um mar de livros

Minha infância e adolescência foi passada em um pequeno mar de livros. Me lembro com exatidão dos meus sete ou oito anos em que buscava o que ler na casa de meus pais   E eu...

Errar é fundamental!
21out
Croniquetas e Papo furado

Errar é fundamental!

Por vezes penso em pequenos fragmentos sem conseguir desenvolver uma única ideia. Afinal são tantas percepções que pousam em velocidade frenética que só eu...

Memórias de mais um Dia das crianças
11out
Croniquetas e Papo furado

Memórias de mais um Dia das crianças

É o dia das crianças. E daí consegui reunir algumas lembranças da minha infância   Antes de montar este texto estava me lembrando de que nas férias eu passava...

O meu melhor sorriso
12set
Croniquetas e Papo furado

O meu melhor sorriso

O meu melhor sorriso, aquele mais verdadeiro é o que emito ao fazer aquilo que amo. E não maioria das vezes nem mesmo percebo   Para quem não me conhece eu sou este cara...

A negligenciada luz no caos – Parte Final
05ago
Croniquetas e Papo furado

A negligenciada luz no caos – Parte Final

Esta é a parte final de uma história real e que com certeza acontece em toda parte. Talvez com mais detalhes que eu tenha conseguido agregar ou com mais ficção que...

A negligenciada luz no caos – Parte 3
22jul
Croniquetas e Papo furado

A negligenciada luz no caos – Parte 3

Esta é a terceira parte de uma história real e que com certeza acontece em toda parte. Talvez com mais detalhes que eu tenha conseguido agregar ou com mais ficção que...

A negligenciada luz no caos – Parte 2
08jul
Croniquetas e Papo furado

A negligenciada luz no caos – Parte 2

Esta é a segunda parte de uma história real e que com certeza acontece em toda parte. Talvez com mais detalhes que eu tenha conseguido agregar ou com mais ficção que...