Category: Devaneios e Delírios poéticos

Sinto saudade sinto
Devaneios e Delírios poéticos

Sinto saudade sinto

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do cafuné.

Sinto falta das sessões de filmes na TV aos domingos de tarde.

Com pipoca, lógico.

Falo daquele cafuné que nem se sente quando acaba porque você cochilou antes.

Sinto falta de avaliar uma lingerie recém comprada para alguma ocasião especial e de tira-la mentalmente seguidas vezes.

Do cheiro de sexo que se entranhava nas cortinas e em minha mente.

De namorar escondido e dos longos beijos roubados.

Sinto falta demasiada em andar de mãos dadas como um casal de velhinhos celebrando bodas de jequitibá.

De dizer (e acreditar) convictamente que não existe nenhuma celulite à mostra.

Sinto falta de ter uma única pessoa. Mesmo que dividida em várias.

Da milésima vez do primeiro beijo e da voracidade de todos eles.

Sinto falta da vontade em deixá-la nua só em ouvir sua voz.

De pelo menos tentar entender o incompreensível que toda mulher traz consigo.

Sinto falta de discordar apenas para fazer as pazes depois.

Do perfume barato que quando sentia me fazia levantar as orelhas como um cão farejador.

Sinto falta das trocas de vestido até que algum ficasse exatamente perfeito para aquele dia.

Do olhar de menina manhosa pedindo conchinha.

Sinto falta dos telefonemas no meio da madrugada apenas para dizer o quanto sentia minha falta.

Sinto falta do que sempre quis ter.

E talvez nunca tenha tido.

E do que tive.

Sinto falta sinto.

 


Comente!

 

Chuva de gafanhotos
23out
Devaneios e Delírios poéticos

Chuva de gafanhotos

Me acho no meio de uma chuva de gafanhotos Em que não posso abrir os olhos ou mesmo espiar. Só sei que aqui estou e ainda assim consegui achar a maçaneta. Há tempos que aqui...

Infelizes pelo resto do tempo
23out
Devaneios e Delírios poéticos

Infelizes pelo resto do tempo

Há muito tempo que não se lembrava dela. Nem mesmo uma mórbida curiosidade tinha. Esquecido? Talvez. Até aquele momento. Memórias quase extintas apareceram por alguns...

Desvairando em desvarios de um desvairado
28set
Devaneios e Delírios poéticos

Desvairando em desvarios de um desvairado

Tem momentos que não acho meu caminho. Um caminho apenas. Qualquer caminho. Procuro explicações definitivas em letras de músicas de outras épocas. Apenas por capricho....

Me fingindo de morto
21set
Devaneios e Delírios poéticos

Me fingindo de morto

Me fingindo de morto sou menos incomodado. Me fingindo de morto desistem logo de mim. Me fingindo de morto ganho meu biscoito e fico na minha.   Minhas opiniões desistiram de mim e agora me...

Autossabotagem
09set
Devaneios e Delírios poéticos

Autossabotagem

 O que te impede de ser seu próprio super herói?   O que não o deixa chegar ao seu destino? Ou mesmo a sair do seu quarto? Há algo mais forte que o seu querer? O que...

O fim e o começo
06set
Devaneios e Delírios poéticos

O fim e o começo

Lutar em paz e ser minha própria contradição. Se eu aceito um “não” como resposta, o “sim” se manterá mais distante. Carrego meu mal desde a...

Freud embaixo da cama
25jul
Devaneios e Delírios poéticos

Freud embaixo da cama

Certa vez me perguntaram: Quem é você? E eu não soube responder. Nem sequer esbocei uma resposta curta. Fiquei com receio de achar uma das inúmeras respostas. De tentar...

De cortinas fechadas
27jun
Devaneios e Delírios poéticos

De cortinas fechadas

Hoje senti um arrepio na espinha e um aperto no peito sem razão. Daqueles que indicam urgentemente uma mudança E uma direção diferente da usual. Uma vontade...