728 x 90
Tempo de Leitura: < 1 minuto



  • Dedicatória por Reynaldo Cruz

    Dedicatória por Reynaldo Cruz

      O que sinto hoje é concreto Pois simplesmente desisti de fingir Como se tudo o que eu escrevesse não fosse Em sua maioria aquilo que sou No entanto, necessito ainda de uma introdução: São estas minhas marchas fúnebres Todas elas, tão egocêntricas, Procuraram outros alguéns Em que pudessem estender os seus por quês Para

    LEIA MAIS
  • Paranóias Urbanas por Roberto Dutra Jr.

    Paranóias Urbanas por Roberto Dutra Jr.

      E se me pegarem? E se me levarem? E se me roubarem? E se me deixarem? E se ninguém falar nada? E se falarem tudo? E se não curtirem? E se ninguém chegar? E se todo mundo chegar? E se correrem? E se gritarem? E se acabar? E se tiver mais? E se não

    LEIA MAIS
  • Teoria e prática

    Teoria e prática

    Talvez eu até saiba mais do que você posso imaginar. Talvez até mais do que eu mesmo imagine. Talvez minha prática seja mais teórica que toda minha teoria. Talvez nem teoria eu tenha para pôr em prática. Talvez eu nem mesmo saiba distinguir a prática da teoria. Talvez prática e teoria se fundam no mesmo

    LEIA MAIS
  • Qual é o seu limite?

    Qual é o seu limite?

    Qual é o limite entre algum humor e do mau humor? Qual é o limite entre o certo e o errado? Qual é o limite que nos impomos e que nos é imposto? Qual é o limite entre a transpiração e a inspiração? Qual é o limite entre o que posso fazer e o que

    LEIA MAIS
  • No mesmo banco

    No mesmo banco

    Costumo usar os mesmos lugares para identificar Memórias e sensações diferentes. No mesmo banco   Sentado naquele mesmo banco de minha infância que guarda minhas mentiras sem nunca me julgar. Naquele mesmo banco, no meio de lugar algum, que é exatamente como me sinto. Sem de fato pertencer à algum lugar. Aquele mesmo banco de

    LEIA MAIS
  • Antolhos

    Antolhos

    Os caminhos que seguimos são invariavelmente caminhos sem volta. Vestir os antolhos e seguir em frente por vezes ajuda como em um cavalo puxador de carroças e sem perspectivas. A ignorância realmente é uma benção. Normalmente não temos muita noção que o que está por vir é infinitamente superior ao que acabamos de perder.  

    LEIA MAIS