728 x 90
Tempo de Leitura: 5 minutos

Coisas que Você Deveria ter Aprendido na Escola

Coisas que Você Deveria ter Aprendido na Escola

Você também passou pelo desprazer de aprender coisas, sobretudo durante o ensino médio, que até hoje não tiveram uma aplicabilidade na sua vida?   Bem vindo ao clube. Sente-se aí, pegue o café e venha pensar nesse assunto. Leia com calma, esse artigo escrito às pressas, e descubra coisas que você realmente deveria ter aprendido.Não abraço

Tempo de Leitura: 5 minutos

Você também passou pelo desprazer de aprender coisas, sobretudo durante o ensino médio, que até hoje não tiveram uma aplicabilidade na sua vida?

 

Bem vindo ao clube. Sente-se aí, pegue o café e venha pensar nesse assunto. 
Leia com calma, esse artigo escrito às pressas, e descubra coisas que você realmente deveria ter aprendido.
Não abraço utopias de forma inocente e crédula.
Isso não faria sentido.
Até porque creio que a educação no Brasil é um projeto que deu certo: Nunca foi intenção dos governantes que o povo tivesse, realmente, um acesso decente à educação.

Demos errado.
Estamos no caminho errado.
E isso faz parte de um grande plano nunca realmente assinado por ninguém, mas eternamente perpetuado por toda esfera política.

Pode ser que eu seja suspeita em falar de educação. Nunca poderia ter, afinal de contas, um olhar neutro acerca da matéria. Afinal, sou professora.
Mas, como professor aqui no Brasil sempre é suspeito de alguma coisa, ficam as dicas de tudo aquilo que você, cidadão consciente, deveria ter aprendido, mas nunca te ensinaram.
Acredito que deveríamos aprender as matérias citadas abaixo, ainda que não gostemos, por que existe uma aplicabilidade real nelas.


1- Filosofia aplicada

Quando falo de filosofia, é comum que as pessoas torçam o nariz. 
Muitos não tiveram essa disciplina no colégio. 
Os que tiveram, foram obrigados a uma mera memorização inócua e aleatória de nomes e teorias, sem frutos relevantes para uma vida realmente mais reflexiva e mais bem aproveitada. 
Não culpemos os professores. 
Quem dá aulas sabe que o professor, quase sempre, é obrigado a seguir uma pauta engessada, seguindo um material pré-formatado. 
Quem lucra? As editoras e os donos de instituições de ensino. 
Quem perde? Alunos e professores. 

O estudo de filosofia que proponho, contudo, é bem diverso deste que conhecemos; 
O que proponho é algo muito próximo do modelo da Nova Acrópole.
Bem… Na verdade, acho que deveria ser no exato modelo deles: O ensino de filosofia de acordo com temas vividos no cotidiano, sob a perspectiva de inúmeras correntes filosóficas orientais e ocidentais; Tudo com instruções práticas sobre como utilizar esses conceitos no dia a dia.  
Assim, em vez de um monte de jovens adultos perdidos, adolescentes inertes e crianças com sinais claros de ansiedade patológica, teríamos pessoas com problemas ( claro, afinal é filosofia, não é magia), mas capazes de lidar com cada uma das pedras do caminho de forma analítica e equilibrada. 
A coordenadora de todo esse projeto de ensino em massa para estudantes de ensino médio? 
Ninguém menos do que Lúcia Helena Galvão
Não conhece? 
Deveria.

Aliás, deve!


2- Leitura crítica

O brasileiro é tristemente analfabeto. 
Não apenas o que não sabe escrever o nome, ou ler coisas simples. 
Mesmo brasileiros que terminam o ensino médio são analfabetos funcionais. 
Para que você entenda: ler com COMPLETA compreensão de um texto é o que delimita uma das 4 competências de um falante de qualquer língua. 
As 4 competências são: LER, ESCREVER, OUVIR e FALAR. 
O contato diário e permanente com a língua pátria nos permite dominar  as competências de fala e compreensão. Contudo, não temos um ensino realmente bom para conseguirmos o pleno domínio da escrita. 

Ou você por acaso sabe a diferença entre cessão, sessão e seção? 
Pois é. 
Isso, junto com a cultura da não leitura nos torna praticamente incapazes de considerarmos livros uma forma de divertimento. 
Como leitora, posso dizer que faço parte de uma parcela ínfima da população. E isso não é nada legal. 

Certamente todo colégio, no ensino médio, deveria ocupar-se de promover oficinas de leitura com livros adequados para adolescentes. 

Você não precisa ler José de Alencar aos 14 anos.
Mas Lucas Netto é sacanagem, né? 
Sejamos coerentes: Arthur Conan Doyle, Agatha Christie, Dan Brown, Eduardo Spohr e até autores de quadrinhos como Wagner William, Gabriel Arrais, Sarah Andersen e Margeaut Motin seriam excelentes para divertir nossos jovens. 


3- Life hacks

Todo mundo já assistiu a McGyver
Pode ser o antigo, ou o remake, você já viu o “semigalã” fazer coisas incríveis com uma fita durex e um canivete cego. 
Pode parecer besteira, mas aprender um pouquinho sobre life hacks é útil.
Mesmo que você nunca vá realmente se tornar o McGyver.
A ideia, contudo, não é você ser brilhante o bastante para estrear uma série.
Mas pode ser bom ter alguém que te ensine coisas básicas que NINGUÉM realmente sabe fazer.

Em alguns países, os jovens são encorajados a aprenderem marcenaria. Há ainda os que aprendem química e biologia de uma forma mais prática ( not Breaking bad, please).
Por que não podemos ter uma disciplina que ensine o estudante brasileiro a, no mínimo, algo de primeiros socorros, algo de química prática, biossegurança, alguma coisa de mecânica e marcenaria?
Assim, teríamos cidadãos capazes de prestar socorro quando preciso, ajudar a evitar crises sanitárias (já ouviu falar?), com conhecimento para neutralizar uma queimaduras de ácido ou outros materiais corrosivos ou, ainda, um ou outro adolescente capaz de abrir uma porta emperrada com um canudo e um isqueiro. 

Ok, o último item talvez possa apenas parar no youtube.


4- Linguagens de programação 

Não estou sugerindo que você se torne um hacker. 
Mas não podemos mais negar a necessidade da tecnologia no cotidiano. 
Aliás, isso é tão evidente, que falar do assunto chega a ser maçante. 
Para sobreviver no mundo pós-covid, você não precisa ser um gênio na manipulação de imagens, ou um crânio capaz de criar sites complexos. 
Mas seria realmente interessante que os colégios começassem a ensinar, efetivamente, algumas noções de HTML, Phyton, Java, recursos online ( como o google Docs, por exemplo), além de mostrar a cada estudante como fazer a manutenção mínima de seu computador pessoal. 
E, claro: Todos precisam aprender a mexer no Excel. 
É sério.

coisas que você deveria ter aprendido na escola 

5- Política 

Nunca gostei de política.
Adianto, inclusive que não gosto de políticos. 
E se você estiver lendo isso, e for político, peço desculpas.
Mas convenhamos: minha implicância não é gratuita. 
Contudo, ela é inevitável. A prova disso está aí: em pleno 2021, o chefe do executivo foi eleito por sufrágio universal, questiona o sistema eleitoral ( pelo qual foi eleito…) e segue acabando com a população e a economia do país.
Então, sim: Nós todos deveríamos adquirir uma boa noção de política durante o ensino médio. 
Para começar, precisaríamos ter aulas basilares sobre o que é direita e esquerda, já que os dois grupos se polarizaram tanto, mesmo havendo muita gente “esquerda caviar” e muito pobre de direita“. 


6- Noções de Direito Constitucional.

Você não sabe o que é competência concorrente, e vive dizendo por aí que a “culpa é do STF”?
Você acredita que se todos votarmos nulo, ninguém se elege?
Você acredita que é normal ofender o coleguinha por causa da cor?
Ainda acha, aliás, que é normal ofender o coleguinha sem ter consequências por isso?
Acredita quando o Presidente diz que é democrata?
Acha que o STF é feio, bobo e cara de melão com o Bolsonaro, mas nem sabe o que significa STF?
Você não faz ideia da utilidade de uma CPI, mas continua dizendo que vai tudo acabar em pizza?

Pois é. 
Tão ruim quanto ser ignorante, é compartilhar a ignorância internet afora, como se fosse verdade. 
 
Apesar de sermos pautados pela Constituição Federal de 88, não temos IDEIA do que ela traz em seus numerosos artigos, incisos e alíneas. 

Isso, com certeza, deveria ser uma disciplina do ensino médio. 
Conhecer nossos direitos e deveres evita comentários imbecis, atitudes tolas e governantes débeis mentais

Mas como eu disse, o plano não é esse. 
Ainda há salvação contudo. 
Para todas as coisas que eu apontei como de aprendizado NECESSÁRIO, há sites e livros que poderão te ajudar. 
Seguem, logo abaixo, alguns dos links úteis que podem fazer diferença na sua vida. 

Aprenda Phyton
Aprenda Excel
Aprenda Filosofia à Maneira Clássica
Aprenda Noções de Direito Constitucional
Aprenda Noções de Política
Aprenda JAVA
Aprenda HTML
Aprenda Leitura Dinâmica
Aprenda Informática básica
Aprenda Pequenos Life Hacks 
Aprenda noções de Primeiros Socorros

Para existir, é necessário pensar. 


Nos siga também no Facebook e no Instagram!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Sugestões de Leitura

Vale a Leitura!

Descomplica pós