Dia de luto e uma estrada longa a seguir
Croniquetas e Papo furado

Dia de luto e uma estrada longa a seguir

Tempo de leitura: < 1 minuto
Não tenho muito a dizer hoje, nem percebo muito a comemorar

 

Apenas gostaria de lembrar que um dos candidatos com maior intenção de votos neste país deu várias declarações exibindo sua posição de total falta de respeito com as mulheres.

E que eu poderia ficar o dia inteiro selecionando matérias sobre o assunto.

Ah! Tenho uma dúvida:

A pessoa que desrespeita as mulheres se lembra que tem mãe, filha ou esposa?

E o cara que vota neste candidato que citei acima tem?

Ler estes textos todos listados abaixo me fez perceber a necessidade de termos um dia para que o respeito seja lembrado consequentemente percebo que temos nada a ser celebrado, muito ainda por evoluir e uma estrada longa a seguir.


Clique nos links abaixo e tente não se assustar.

*Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil; estupros aumentaram 3,5% em 2016.

*Mais de 12 mil mulheres são agredidas por dia no Brasil, estima estudo.

*Uma mulher agredida a cada 15 segundos, uma mulher morta a cada 90 minutos.

*Mortes por aborto no Brasil: a legitimação da nossa ignorância.

*IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior.

*Mesmo estudando mais, mulheres ganham menos que homens.

*42% das mulheres relatam ter sofrido assédio sexual, aponta Datafolha.

*Pesquisa aponta que 90% das mulheres já sofreram assédio em agências.

*Vagão rosa é desrespeitado.

*Sem fiscalização, vagões femininos são desrespeitados no Rio…

*Mulheres são uma maioria tratada como minoria.

*Dossíê da violência sexual.

 


Gostou? Então comente, deixe sua opinião e compartilhe!

 

Fabio Pires é o cara risonho da foto. Eu sou quem assina boa parte dos textos aqui publicados e quem escolhe os assinados por outros escritores. Sou carioca, tenho um livro publicado e vários outros na cabeça, sou baixista de rock, ranzinza, ácido, formado em Letras, graduado em filosofia de botequim, escrevo poesia, mas não me acho poeta e desde 1976 venho tentando fazer a coisa certa, mesmo sem saber muito bem diferenciar o certo do errado.

Fabio Pires é o cara risonho da foto. Eu sou quem assina boa parte dos textos aqui publicados e quem escolhe os assinados por outros escritores. Sou carioca, tenho um livro publicado e vários outros na cabeça, sou baixista de rock, ranzinza, ácido, formado em Letras, graduado em filosofia de botequim, escrevo poesia, mas não me acho poeta e desde 1976 venho tentando fazer a coisa certa, mesmo sem saber muito bem diferenciar o certo do errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.