O homem tornou a terra um inferno para os animais

O homem tornou a terra um inferno para os animais

Tempo de leitura: 3 minutos
O filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860)
disse certa vez:
“O homem fez da terra o inferno dos animais”.

 

A verdade é que, desde a antiguidade, o homem sempre foi cruel com outros seres vivos, gerando sofrimento, longe de sentir qualquer empatia por suas vítimas, como se esses seres não possuíssem quaisquer tipos de sentimentos.

 

Um antigo inferno

Apesar de ser obrigado a se conter na sua insensibilidade, em função de novas leis que se criam de tempos em tempos com o propósito de proteger os animais, muita crueldade ainda é hoje praticada contra esses seres; umas tantas disfarçadas de tradição, como é o caso das touradas, rodeios e outras festas do gênero.

O uso de cães durante as guerras atingiu limites quase intoleráveis ​​com o uso de cães-bomba.

O método consistia em fazer com que esses animais só se alimentassem debaixo de tanques.

O que, evidentemente, criava neles a expectativa de que em qualquer uma dessas geringonças de guerra havia comida embaixo delas.

Pronto, restava apenas deixá-los com fome por um longo período e em seguida soltá-los para que fossem procurar o que comer embaixo dos tanques do inimigo, levando atado aos seus corpos um artefato de bombas que era detonado no momento certo.

 

Espetáculos atrozes

O uso de animais para vários shows, legais e não, é um tema bastante controverso.

Além do fato de que muitos defendem o aspecto cultural ligado à tradição de alguns desses eventos, é difícil sustentar a posição daqueles que vão às arenas para observar satisfeitos que os pobres touros, em condições inferiores, são forçados a sofrer o pior maus-tratos antes de ser morto por algum covarde nos circos.

Mesmo que o número de lugares que proíbem o uso de animais para este tipo de exposição esteja em constante crescimento.

É bom nunca esquecer a terrível punição que atinge as criaturas que são retiradas de seu habitat natural.

E são forçadas a realizar provas e aventuras por a diversão dos seres humanos, que têm a culpa por pagar a taxa de entrada para aplaudir esses “feitos”.

As rodadas de apostas ilegais e clandestinas, rinhas de galos e briga de cães.

Aqueles entre os cães, continuam a ser manifestações do nível de aberração que a alma do homem pode alcançar.

 

Animais como cobaias

É verdade que, graças a esses experimentos, a humanidade fez grandes progressos no tratamento de várias doenças, mas é preciso muita coragem para introduzir alguns vírus e bactérias em uma criatura inocente.

E a situação fica ainda pior quando os experimentos são feitos em laboratórios de cosméticos.

Para nos dar peles humanas sem rugas ou cabelos perfeitos, milhares de animais tiveram que testar produtos para chegar à fórmula perfeita.

Imagine todas as tentativas fracassadas.

Sem mencionar aqueles que consideraram um grande objetivo enviar cães ou macacos para o espaço e não fazê-los voltar atrás.

 

“O amor pelos animais está intimamente associado à bondade de caráter,
E podemos dizer com segurança que aqueles que são cruéis aos animais não podem ser bons homens.”
-Arthur Schopenhauer-

 

O homem criou o inferno para os animais

Poderíamos continuar a lista até o infinito.

Abaixo deixamos apenas uma lista de outras formas pelas quais o homem faz da terra um inferno para os animais, causando a extinção de espécies inteiras.

• Destruição de habitats naturais.

• Tráfico de espécies exóticas.

• Caça indiscriminada ou esportiva.

• Maus tratos domésticos ou de rua.

• Condições de vida insustentáveis nas explorações agrícolas.

• Carnificina cruel para obter peles, carnes e presas.

• Exploração como “bestas” para o carregamento e transporte de mercadorias.

• Prisão em zoológicos.

 

Educar para o amor e o respeito por todos os seres vivos

Fazer uma lista com todos os detalhes relacionados a essas práticas pode ser insuportável.

Para quem quiser, a internet está repleta de imagens e vídeos voltados para a conscientização sobre o abuso de animais.

Enquanto isso, tente evitar criar seus filhos na realidade, onde as diferentes formas de crueldade contra essas criaturas sejam aceitas ou naturalizada:

Não deixe que seus filhos corram o risco de desenvolver uma tendência para esse tipo de comportamento.

Espalhar a consciência sobre as diferentes formas de abuso sofridas pelos animais e contribuir para o respeito de seus direitos pode parecer uma tarefa desafiadora.

Mas vale à pena não desistir.

 

Originalmente na página Pensar Contemporâneo.

Deixe seu comentário
Facebook Comments

Posts Relacionados

Patético por Luiz Felipe Pondé Desconfio de quem diz não dar valor ao dinheiro. Normalmente se trata de uma falsa santidade   O que é mais importante na vida: ter ou ser? ...
Sem desculpas esfarrapadas Perdoem-me, mas ontem não tive a menor condição de escrever por aqui   Me dei ao luxo de uma folga no primeiro dia do ano de 2018 por pura preg...

Fabio Pires é o cara risonho da foto. Eu sou quem assina boa parte dos textos aqui publicados e quem escolhe os assinados por outros escritores. Sou carioca, tenho um livro publicado e vários outros na cabeça, sou baixista de rock, ranzinza, ácido, formado em Letras, graduado em filosofia de botequim, escrevo poesia, mas não me acho poeta e desde 1976 venho tentando fazer a coisa certa, mesmo sem saber muito bem diferenciar o certo do errado.