Use sua insatisfação em seu favor
Croniquetas e Papo furado

Use sua insatisfação em seu favor

Tempo de leitura: < 1 minuto
Use sua insatisfação em seu favor,
Sempre

 

Está putinho com seu chefe?

Se arrasta todo dia para o trabalho?

Faz aquilo que detesta?

Pensa em outro rumo para sua vida?

Se pensa, comece agora a agir.

Seu tempo é perecível e nossa estada aqui é curta demais para não vivermos como queremos.

Ou pelo menos tentarmos. 

 

Use sua insatisfação em seu favor.

Não reclamando, mesmo porque não damos um passo para frente enquanto reclamamos, mas injetando mais força em busca do seu objetivo.

Reme.

Nem que seja sozinho.

Nem que te chamem de louco e tentem te fazer desistir.

 

O que não é falta é gente tentando te puxar pro lado “normal” da vida, não é mesmo?

Algo como o texto inicial de Trainspotting (Escolha uma vida, escolha uma carreira, escolha uma família…) em que aceitamos estas “verdades” como algemas que carregamos para o restante da vida.

 

Ser normal é ter tanto medo a ponto de não fazer aquilo que ama?

Ser normal é ser infeliz como a maioria ao redor? Ou fingir que somos felizes  mesmo sem sabermos do que se trata?

Ser normal então deve ser seguir a maioria e nunca identificar seus próprios valores e escolhas? Ou ignorar todas as opções que nos tragam prazer?

Ou ser normal seria nascer, virar adulto, sofrer, reclamar, engordar, pagar contas ad eternum, nada fazer para mudar este panorama e desaparecer do mapa quando voltamos ao pó?

Isso tudo sem ao menos tentar?

Lembre-se que a mesmice suportada por uns é a prisão perpétua de outros.

 


Comente, deixe sua opinião e compartilhe!

 

Facebook Comments

Posts Relacionados

Melhores em quê? Hábito que ninguém sabe de que lugar veio e apenas mascara uma necessidade competitiva que sabemos não ser saudável, nem individualmente nem como part...
O sofrimento lapida a arte Críticas são sempre bem vindas, gosto de saber se o que escrevo faz algum sentido para alguém em algum momento e em algum lugar   Entender se ...

Fabio Pires é o cara risonho da foto. Eu sou quem assina boa parte dos textos aqui publicados e quem escolhe os assinados por outros escritores. Sou carioca, tenho um livro publicado e vários outros na cabeça, sou baixista de rock, ranzinza, ácido, formado em Letras, graduado em filosofia de botequim, escrevo poesia, mas não me acho poeta e desde 1976 venho tentando fazer a coisa certa, mesmo sem saber muito bem diferenciar o certo do errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.